Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

BELA CRUZ — famílias endogâmicas

Por: Vicente Freitas

Este livro é mais uma notícia ou roteiro destinado ao melhor conhecimento da história da ribeira do Acaraú e, especialmente, do município de Bela Cruz. Tem como alvo esclarecer o que há de real e de fictício nas crônicas e anais daqueles que nos precederam (pelas veredas da história) nesta região das sesmarias de Manoel de Goes. O topônimo — Santa Cruz — foi seu primeiro nome, conforme consta na Escritura do terreno doado para o Patrimônio da Capela, em 1732, e nas milhares de Certidões de Batismos, Casamentos e Óbitos, conservadas nos Livros Paroquiais da época, até 1938, quando o Decreto Federal nº 311, deu-lhe a denominação de Bela Cruz, que prevalece até hoje. É o berço que acolheu a família Vaz-Carrasco, vinda de Pernambuco, no início do século XVIII, ligada aos Albuquerque, Araújo, Cavalcante, Goes, Holanda, Vasconcelos e Xerez; terra que acolheu portugueses — e descendentes — que deram origem às famílias do Vale do Acaraú. Afora as consultas que fizemos aos Arquivos Paroquiais, e à valiosa hemerobibliografia, em relevo a Revista do Instituto do Ceará (publicada desde 1887), quiçá, a mais importante e séria publicação, sobretudo no que concerne à divulgação e ao revisionismo da nossa História, Geografia e Antropologia; talvez — no mais — todo o mérito deste livro esteja em reunir, num só lugar, boa parte do acervo estudado nestas fontes. Os lugares, quaisquer que sejam eles, contam uma história, dão forma a um passado que, envolvendo as pessoas que lá habitam, fazem desse passado uma história comum. Aqui fazemos o registro da pequena povoação que começou provavelmente, em 1683, com currais de gado e alguma plantação do sesmeiro Manoel de Goes, ou 1702, com Nicolau da Costa Peixoto e sua mulher Paula de Sá. A Capela, construída em 1732, foi o princípio da invocação de Nossa Senhora da Conceição. Posteriormente, ali chegaram Manoel Vaz Carrasco, José de Xerez Furna Uchoa, Domingos Aguiar de Oliveira, José de Araújo Costa e outros, hoje aqui estudados como troncos genealógicos da região.

Impresso
R$ 62,94

Ebook (PDF)
R$ 44,13

Tema: Biografia, Não Ficção, Histórico, Geografia E Historia, Historiografia Palavras-chave: biografia, genealogia, história

Características

Número de páginas: 180
Edição: 1(2015)
Formato: Pocket 105x148
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura s/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.