Agbook

SINGULARIDADE

A ESSÊNCIA DE DEUS

Por: ADEILSON NOGUEIRA

Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus. Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora; e não só ela, mas até nós, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, aguardando a nossa adoração, a saber, a redenção do nosso corpo.

São Paulo, Carta aos Romanos , 8: 19-23

Para São Paulo, o sacrifício de Cristo na cruz redime o corpo humano da corrupção e mortalidade impostas pela queda. O corpo de salvação dos humanos renascidos será semelhante ao corpo transfigurado de Cristo revelado no Monte Tabor. No Novo Testamento, lemos: "[...] E todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito (2 Coríntios 3:18).

Em março de 2010 a imprensa mundial publicou: “CIENTISTAS CRIAM VIDA EM LABORATÓRIO”

Nos meses de março e abril de 2016, a imprensa alardeou a seguinte manchete: “CIENTISTAS CRIAM BACTÉRIA APENAS COM OS GENES ESSENCIAIS À VIDA”.

Será possível?

O genoma é formado por sequencias de DNA. Cada pedaço de DNA é formado por moléculas (Timina, Adenina, Citosina e Guanina).

Essas moléculas são representadas por quatro letras: A C G T. A sequência formada por estas letras é capaz de carregar informação. A combinação destas letras determina a característica do organismo.

Primeiro os cientistas isolaram o genoma, ou seja, as sequências de DNA de uma célula já existente chamada Mycoplasma Mycoides.

Eles fizeram o mapeamento rigoroso do DNA dessa bactéria e guardaram essas informações em um computador. Então retiraram alguns pares de moléculas da sequência desse DNA e alteraram a ordem deles (modificaram a sequência de DNA que retiraram da célula Mycoplasma Mycoides) criando sua própria sequência.

Essa nova sequência de DNA foi a única coisa que os cientistas criaram de fato.

Depois pegaram uma outra bactéria chamada Mycoplasma Capricolum e retiraram seu material genético (seu genoma), esvaziando-a.

Essa seria a célula recipiente, onde colocariam o genoma sintético, ou seja, a sequência de DNA que fizeram em seu laboratório.

A cor zul das colônias indicava que as bactérias Mycoplasma Capricolum incorporou o genoma transplantado da Mycoplasma Mycoides.

Depois de transplantarem o genoma artificial para uma célula sem genoma esta passou a ser controlada pelo genoma que os cientistas fizeram.

Não se trata de uma célula sintética artificial, mas tão somente de um genoma artificial.

O resto foi todo feito em cima de material já existente na natureza e também não criaram vida alguma, pois a única coisa que criaram, ou seja, a nova sequência de DNA, não é algo vivo, mas somente uma sequência de informações que determina as características de um organismo.

Algo retirado de um organismo vivo, modificado e inserido em outro organismo já existente na natureza

Não há criação de vida nisso.

Tudo isso não passa de vaidade intelectual de um mundo que tateia na escuridão espiritual em uma era de disseminação do conhecimento.

Criação sem um criador? A teoria da evolução proporcionou ao ateu uma explicação de uma criação sem um Criador. Mas esse “racionalismo” equivocado fracassou completamente para explicar as origens das coisas e da vida; e hoje os mais sinceros entre os geólogos e biólogos confessam que não sabem como a vida poderia ter evoluído de matéria inanimada, através das simples formas de vida, para as espécies complexas e interdependentes que vemos ao nosso redor, e, finalmente, para o homem.

Impresso
R$ 40,28

Ebook (PDF)
R$ 22,60

Tema: Tempo, Ciências Da Vida, Ciências Da Terra, Natureza, Cultura Bíblica, Ciência Palavras-chave: ciÊncia, criaÇÃo, deus, fÉ

Características

Número de páginas: 25
Edição: 1(2017)
Formato: A4 210x297
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.