Agbook

Saúde & Sociedade

Esta página foi vista 67 vezes desde 31/03/2020

Revista Interdisciplinar da FAEC

Por: Ano 1, n. 1, jan./jun. 2020.

Editorial

Já é lugar-comum, afirmar que a Educação e a Saúde passam, hoje, por uma crise de gravidade nunca antes vista, em terras brasileiras. Em qualquer instância do social, a crise se apresenta como síntese de todos os maus governos que pautaram a História desse país — notadamente, daqueles governos que ficaram compreendidos entre os “Anos de Chumbo” da Ditadura Militar e os novos neoliberais. As desigualdades, no Brasil, têm raízes profundas e antigas. A nação brasileira foi construída sobre a exploração escravista e sobre a má distribuição de renda. Mesmo depois da República, as dinâmicas sociais opressoras tiveram continuidade — maquiadas, evidentemente, com dispositivos engenhosos. E é importante perceber que essas dinâmicas opressoras são reproduzidas e continuadas em todas as instituições, inclusive a Escola e os Estabelecimentos de Saúde.

É nesse contexto que o docente que forma profissionais de Saúde tem que trabalhar. E o seu papel não se limita ao de um transmissor de conhecimentos técnicos; ele deve também tentar reverter a mentalidade opressora que habita a nossa formação — e, dessa forma, tentar contribuir para a transformação da nossa realidade. O verdadeiro papel do docente — não apenas daquele que transita na formação de profissionais de saúde, mas de todo e qualquer docente — é o de gerar uma nova consciência, é o de emancipar o homem, tornando-o um sujeito histórico ativo, participativo, cônscio da sua importância e da sua condição.

Para tanto, faz-se necessária a construção de um ideal pedagógico, para a Saúde, gerado em coletividade, que atenda às demandas das classes menos privilegiadas e que esteja comprometido com os ideais democráticos, humanitários e humanistas. Um ideal pedagógico iminentemente político e participativo, voltado para a cidadania. Esse novo ideal pedagógico deve nascer do sonho de todos aqueles que fazem a Educação, no campo da Saúde, mas deve partir, principalmente, do docente. Não adianta esperar que algum grupo ou partido político, que eventualmente ocupe o Poder Executivo, tome a iniciativa; esse papel cabe a todos nós, educadores e pesquisadores da Saúde. Nesse sentido, cada docente, nesse imenso Brasil, deve se convencer de que o professor é o sal da terra, a origem e o fundamento de toda proposta libertadora. Talvez, quando atingirmos essa consciência, o estado das coisas seja transcendido naturalmente....

Assim, desejamos boa leitura e muitas reflexões!

Equipe coordenadora

Selos de reconhecimento

Impresso
R$ 37,91

Tema: Não Ficção Juvenil, Não Ficção Palavras-chave: interisciplinaridade, saúde, sociedade

Características

Número de páginas: 104
Edição: 1(2020)
Formato: A4 210x297
ISBN: 9788567741048
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura s/ orelha
Tipo de papel: Couche 90g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.