Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

SOBERANOS DE OURO

Por: ADEILSON NOGUEIRA

Quase todas as principais nações tinham uma moeda de ouro. Com uma tendência à uniformidade tão marcada, pareceria fácil selecionar uma unidade que pudesse ser aceita pelos países líderes, mas, infelizmente, os preconceitos nacionais estavam profundamente enraizados, e cada nação considerava seu próprio sistema monetário o melhor.

Os ingleses estavam satisfeitos com suas libras, xelins e pennies e afirmavam que, como seu sistema era o mais amplamente utilizado no comércio, deveria ser adotado universalmente. Os franceses esperavam que todas as nações, em última instância, selecionassem seu sistema e insistiam que abrangesse uma grande parte da Europa, suas reivindicações de adoção universal eram superiores a qualquer outra. Os americanos diziam que, tendo sido os primeiros a estabelecer a notação decimal na cunhagem, e sua unidade tendo sido adotada por uma das colônias mais importantes da Inglaterra e pelo mais esclarecido dos impérios asiáticos, suas reivindicações não seriam desprezadas. Os alemães não adotaram qualquer sistema puramente estrangeiro, embora fossem induzidos a considerar favoravelmente um plano que fosse o resultado de um acordo.

A Conferência Monetária de 1867 propôs a moeda de ouro de cinco francos como a melhor unidade a ser selecionada. As objeções a essa peça foram manifestadas. Todas as nações, com exceção da União Latina e os países que introduziram o sistema do franco, estariam obrigadas a arcar com o ônus da relembrança, o que não seria justo, pois o benefício a ser obtido seria comum a todos.

A experiência da antiguidade pareceu sancionar a seleção do soberano como moeda internacional. O stater de ouro da Lídia, após a reforma monetária efetuada por Creso, pesava cerca de 8 gramas. O dárico de ouro da Pérsia tinha o mesmo peso. O stater emitido por Philip II da Macedônia - a unidade da moeda de ouro - que as conquistas de Alexandre o Grande levaram a países remotos, pesava cerca de 8 gramas. O aureus - a unidade da cunhagem de ouro romano - que pesava 8 gramas sob Júlio César.

Impresso
R$ 51,76

Ebook (epub)
R$ 33,37

Tema: Moedas & Medalhas, Grã Bretanha, Antigo, Geografia E Historia, Educação, Antiguidades E Colecionáveis Palavras-chave: de, história, moedas, numismática, ouro, soberanos

Características

Número de páginas: 49
Edição: 1(2020)
Formato: A4 210x297
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.